Como gerenciar um negócio remotamente – MN #21

Vamos abordar o trabalho remeto para gerenciar seu negócio, já se passaram dois anos desde que viemos morar na Alemanha e temos tocado nosso negócio no Brasil. Vamos falar como tem sido essa experiencia até o momento. Abordaremos os resultados da empresa nesses últimos 2 anos longe fisicamente do negócio, mas cada vez mais próximo da gestão de forma remota. Veja como gerenciar um negócio sem estar presente o tempo todo.

Como gerenciar um negócio de longe

Só uma pequena “correção” antes de você comentar algo abaixo. No vídeo comento de um crescimento da receita, porém esse crescimento ali eu considero a receita efetivamente recebida no caixa e não a receita pela da competência, o que ocorre que olhando pela competência nossa receita subiu muito mais que o apresentado lá, porém a inadimplência no Brasil também subiu a nível recordes, o que impactou a receita de caixa para baixo. Só fiquem ligados a esse detalhe senão vai parecer desproporcional a receita com o lucro.

 

Entenda o que é a série “Meu negócio”

Para aqueles que não conhecem a série “Meu negócio”: Tenho uma empresa de desenvolvimento de software, no qual comercializo um software para o pequeno varejo, entenda aqui como funciona o mercado de desenvolvimento de software.

Pouco depois do meado de 2016 entrei em contato com o meu principal concorrente na intenção de comprar o controle da sua empresa, veja aqui nesse vídeo. Durante a negociação acabamos fazendo uma fusão das duas empresas, veja aqui nesse vídeo mais detalhes sobre isso, com a intenção de montarmos uma empresa mais lucrativa e produtiva.

Com os acordos fechados, começamos o processo de reestruturação completa da empresa,  durante todas essas etapas estou fazendo vídeos e documentando tudo o que está ocorrendo. A intenção é servir de inspiração para outros que desejam entrar no mundo dos negócios e norte para aqueles empreendedores que já estão no meio da caminhada.

Geralmente você já deve ter lido uma serie de livros de empresários, falando como construíram suas empresas, como as tornaram tão lucrativas, você devia assim como eu ficar se perguntando, legal entendi a mensagem, mas na pratica como fazer… isso não vem escrito nesses grandes best-sellers. Aqui você poderá acompanhar todo esse processo rumo ao crescimento bem de perto, e ver na pratica como isso tudo funciona. Tudo aqui falado é real e ocorreu exatamente da maneira descrita.

Claro que teremos momentos que não acertaremos, vai ter hora que precisaremos corrigir o curso do navio, tanto os bons quanto os maus momentos serão aqui compartilhados. São coisas recentes, algo que aconteceu a alguns dias atras, algumas terão efeitos colaterais que nem mesmo vou saber quando estiver gravando. Agora dê o play, curta nosso vídeo, divulgue e se possível comente e venha aproveitar a aventura junto conosco!

7 thoughts on “Como gerenciar um negócio remotamente – MN #21

  • 27 August 2018 at 22:00
    Permalink

    VD, vídeo muito bom, de grande contribuição, muito obrigado por compartilhar suas experiências e dicas.

    Eu tenho um pequeno empreendimento, RE e venho diversificando a minha carteira e estou pensando em diversificar tendo um outro empreendimento, porém, quero ter um sócio e não empregados, pois estes são trabalhosos.

    Também estou olhando o exterior (investimento), mas ainda tenho um certo temor e tenho um inglês fraco, mas estou procurando expandir meus estudos, visão.

    Seu blog tem contribuindo demais para olhar o exterior. Grande abs e acompanhando

    Reply
    • 27 August 2018 at 22:44
      Permalink

      valeu pelo Feedback

      se está se referindo a investir no exterior no sentido de montar empresa, Portugal pode ser interessante, afinal não terá a barreira do idioma

      Reply
      • 27 August 2018 at 22:53
        Permalink

        VD, desculpe-me a expressão errônea.

        No quesito de empreender um novo negócio, ainda foco no Brasil, mesmo com todos os revés.

        Para o exterior, em especial EUA, penso em investir em ações e fundo.

        Aproveitando o gancho sobre abrir negócios no exterior, tenho assistido alguns vídeos elogiando países como chile, malásia, austrália, como sendo países (de governo) pouco intervencionista e que está em expansão. Você tem alguma opinião sobre o tema? (pergunto de curioso). Abs.

        Reply
  • 27 August 2018 at 10:46
    Permalink

    VD, seu vídeo foi espetacular, obrigado pela citação.

    Seu negócio com certeza é um dos mais viáveis para se tocar de maneira remota. Restaurante é um negócio complicado de se tocar remoto, veja que a grande maioria dos restaurantes de rede são franquias, ou seja, é difícil para o proprietário da marca tocar várias unidades ao mesmo tempo se não for com um franqueador por perto.

    Esse dono do mercadinho que vc citou tem o velho discurso que estou com o saco cheio de ouvir no mundo dos comerciantes: “isso daqui é prisão, não consigo folgar, se deixo na mão de funcionário ele me rouba, blá blá blá…” aí vc vai ver o cara não tem controle financeiro algum, paga mal e explora funcionário, não sabe delegar nem cobrar resultados, enfim… dessa maneira o negócio acaba por ficar totalmente concentrado em cima do cara mesmo. Veja que ele citou o lance das compras, porra, compra é um dos quesitos mais importantes de qualquer negócio varejista e um que pode ser feito quase totalmente à distância, logo é uma das funções que deve ficar na mão do dono; comprador é pra empresa muito grande, com várias lojas… é um funcionário que recebe em dobro, de você e dos fornecedores, pq é um cargo muito sujeito à corrupção.

    Todo comércio onde o estoque pode ser inventariado tem potencial de ser tocado remoto, o que é o ponto problemático do restaurante, fábricas dentre outros.

    Sua sugestão de como fazer a transição é muito boa, só acrescentaria que os fucnionários devem ficar sempre na dúvida se o dono aparecerá ou não, deve-se contratar um auditor e esse deve também fazer visitas surpresas, sem frequência certa.

    Sim, eu tenho pessoas que faria um bom time, mas como citei naquele post, esse é mais um dos fatores críticos que me meter num negócio desses, se não conseguisse a equipe que preciso, nada feito. Além disso com toda certeza eu teria que passar ao menos uns 3 meses in loco focado na loja, disso não tem como fugir. Como vc disse, são custos relacionados…

    Sobre ao visitar a empresa, acho que a frequência de até 4 vezes no ano é viável sim porém a tendência é que essas visitas sejam cada vez menos frequentes justamente pelo o que vc disse, de saber onde focar na empresa para fazer as melhorias. Num comércio (o que é bem diferente do seu negócio) o dono deve ser capaz de fazer todas as funções, desde compra, cobrança até lavar o banheiro. Entretanto isso não quer dizer que ele deva fazer tudo bem, muito pelo contrário, deve contratar pessoas para fazer aquilo que é mais fraco e essas pessoas devem ser boas no que fazem.

    Os números da sua empresa são excelentes e refletem uma estrutura bem consolidada e um trabalho bem feito, parabéns!

    Mais uma vez obrigado pela citação e debate saudável em torno de um tema pouco explorado. Gostaria de propor um novo debate dentro de algo que sempre me perguntam: vc empreenderia na Europa? Como?

    Abraço!

    Corey

    Reply
    • 27 August 2018 at 18:06
      Permalink

      Fala Corey

      sobre o lance do mercado eu concordo contigo que boa parte é culpa do cara que não consegue gerenciar de forma eficiente o negócio, e por isso tem que ficar 7x24h agarrado no negócio, talvez com esse gerenciamento ele conseguiria fazer como esse meu cliente que consegue se ausentar 3 dias por semana do negócio (levando em consideração que mercado funciona todos os dias), mas pra isso vc precisa de uma equipe legal, e conseguir pessoas capacitadas que estejam dispostas a trabalhar em um mercado é bem difícil, isso porque mercado e farmácia por exemplo funcionam todos os dias, entao um cara bom acaba recebendo oportunidades de vários locais e certamente ele terá outra opção que lhe pague algo parecido ou mais talvez mas que ele possa trabalhar por exemplo de segunda a sexta, entao mercado pra vc viver no brasil até vai, mas pra vc estar longe e coordenando remotamente de outro país acho que fica inviável.

      Sobre as compras os hábitos de consumo mudam muito, e o dono estando de longe não vai conseguir acompanhar a demanda dos produtos, você pode com um sistema de informatica lhe ajudar nesse sentido, mas não vai resolver totalmente o problema, precisará de um cara responsável para ver como anda as coisas, veja só vc mesmo disse que isso é tão complexo que não pode ficar na mão de qualquer um, sim porque o dono é o cara que sabe ver melhor do que ninguém onde está indo a demanda (ou pelo menos deveria saber né)

      Sobre o estoque, vc sempre terá margens de erro, e poucos conseguem controlar o estoque, vamos colocar aí que da minha base de clientes e dai vc pode considerar uma milhar de lojas diferentes de todos os tipos, eu posso tirar uns 10% que tem o estoque totalmente certo. E mesmo assim esses 10% só conseguem porque o dono fica em cima monitorando bem de perto.

      De responder concordo com seus pontos. Mas Corey acho que o principal e nisso concordamos é a questão de ter um bom time do lado, senão nada disso funciona.

      Sobre a sua pergunta vamos deixar para pauta pra um futuro vídeo. Já me perguntaram isso também, eu tenho algumas visões sobre isso, mas acho que por texto não fica legal, tem que ser falando mesmo pra explicar melhor.

      Reply
      • 29 August 2018 at 15:41
        Permalink

        O que vc disse sobre o tipo de funcionário que trabalha num mercadinho da vida é a mais pura verdade. Quanto menos formação necessária e mais genérico o trabalho menor as chances de se conseguir um bom funcionário. Entretanto há maneiras de garimpar gente que se adeque à esse perfil. Lá nos primórdios do meu blog fiz uma série de postagens onde explico como fazia a seleção de funcionários. Basicamente vc tem que pensar fora da caixa e fugir de padrões, por exemplo, um dos meus melhores funcionários era um senhor de quase 70 anos, trabalhava sem reclamar, honesto, educado e prestativo.

        Discordo novamente sobre as compras. Saber o que sai ou deixa de sair vc consegue através do feedback dos funcionários, não é preciso estar fisicamente no local. Hj em dia grande parte dos fornecedores aboliu a figura do vendedor, sendo que na maioria das vezes esse quando existe não te visita (atende por telefone/internet) ou vc faz pedidos diretamente à empresa, logo isso tb ajuda à fazer esse tipo de trabalho remotamente.

        Estoque 100% certo não existe, mas 95% já é o suficiente e bem factível, sempre tive margens bem baixas de quebra de estoque por manter rotinas de inventário e incentivos financeiros aos funcionários o que acaba por inibir pequenos roubos e erros de lançamento. Outra coisa que muitos veem como dor de cabeça é quebra de caixa, hoje em dia com boa parte dos pagamentos realizados de maneira eletrônica diminuiu muito a necessidade de cobranças em dinheiro e os erros de troco são minimizados simplesmente usando corretamente os softwares de controle (confesso que EU sempre dou troco de cabeça, mas sempre cobrei que os funcionários usassem o sistema).

        Claro que concordamos, a chave de tudo é um time decente, sem dúvidas.

        Aguardo seu próximo vídeo, abraço!

        Corey

        Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *